Corpo em trânsito: ensaios sobre imagem, memória e cidade

Andrea Casa Nova Maia e Wladimyr Sena Araújo

Corpo em Trânsito é um livro plural em muitos aspectos. Escritos durante a pandemia da Covid-19, os ensaios que compõem a coletânea têm em comum o fato de terem sido escritos para o curso “Memória, História, Patrimônio, Paisagens e Identidades”, ministrado por Andréa Casa Nova no Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ. Mas não é apenas esse dado de ocasião que articula os textos reunidos aqui. Eles têm como ponto de contato a preocupação com os modos de refletir sobre as paisagens urbanas em contextos diversos, e com as formas de pensar a relação entre memória e história, entre espaço e tempo. Como ler uma paisagem? Em cada um dos ensaios encontramos um percurso diferente, um jeito de enfrentar essa pergunta. Compostos sob o signo das autoras e autores debatidos ao longo do curso (de Walter Benjamin a Svetlana Boym, de Richard Sennet a Georges Didi-Huberman, passando por Aby Warbug e sua reflexão sobre a sobrevivência das imagens), os ensaios de Corpo em Trânsito são um grande e diversificado arquivo de ideias, debates e leituras. Juntos, os textos funcionam como as pranchetas do Atlas warburguiano: parecem imagens dispersas, partes sem todo. Mas, se olharmos bem, eles estão atravessados por uma experiência compartilhada: a de pensar as cidades num momento em que fomos obrigados, ainda que provisoriamente, a nos afastar delas. (Felipe Charbel, Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro)

Publicado em 10/03/2022
Editora Telha