Classe e raça na história social do trabalho: sindicalismo e movimento negro no Brasil

Nos últimos anos, os debates sobre as intricadas relações entre classe e etnia-raça têm ganhado grande visibilidade nas discussões políticas e acadêmicas. No Brasil, no entanto, chama a atenção a relativa escassez de estudos nos campos da história social do trabalho e da história das relações raciais que analisem os cruzamentos, tensões e solidariedades entre as organizações de trabalhadores e do movimento negro ao longo do século XX. Em países como Estados Unidos, África do Sul e Reino Unido, por exemplo, essas são algumas das questões centrais da historiografia sobre trabalho, relações étnicas e desigualdades. Esse curso procurará apresentar alguns dos debates internacionais em torno dessas temáticas, mas priorizará a análise da bibliografia existente no país, em particular sobre as relações e debates a respeito de classe e raça (e por vezes, também gênero, geração e origens regionais) no sindicalismo e no movimento negro. Os desafios teóricos e metodológicos da produção nacional nessa temática terão particular destaque nas discussões em sala de aula.