As Formas do Romance – Estudos sobre a historicidade da Literatura

Felipe Charbel, Henrique Gusmão, Luiza Laranjeira Mello

O livro trata de distintas possibilidades de relação entre o romance e a história. Desde a sua consolidação no século XVIII, o romance provocou reflexões e críticas que chamaram a atenção para seu vínculo estreito não só com a produção historiográfica (em função de sua matriz épica comum e do seu caráter de narrativa longa), como também com a “história-em-si” (com as forças da vida social que parecem se sedimentar, de forma privilegiada, nesta variedade de discurso ficcional). Ao longo do século XX, historiadores e críticos esforçaram-se no sentido de complexificar e de colocar em contato duas tradições analíticas que marcavam o estudo das obras romanescas: a apropriação documental da literatura, que busca, nos romances, “evidências” factuais mais ou menos confiáveis da realidade social; e os debates que analisam os aspectos propriamente estético-formais das obras. Como resultado desse esforço intelectual, o século XXI herda a possibilidade de pensar a historicidade da literatura por diferentes vieses.

Os treze ensaios reunidos neste volume, escritos por pesquisadores de áreas diversas, como a História, os Estudos Literários e a Filosofia, abordam o problema da historicidade das formas romanescas em um amplo recorte temporal, que vai da consolidação do gênero como um dos fundamentos da cultura literária moderna ao exame das formas híbridas do século XXI, passando pelo debate sobre a circulação dos modelos romanescos em relação ao teatro, à literatura de testemunho e, mais recentemente, às séries televisivas. Este livro incita-nos a refletir sobre o caráter essencialmente inacabado e plástico do romance, que faz dele um gênero aberto à história.

Published on 06/07/2016
Editora Ponteio