Uranófilo, o Peregrino Celeste

Valentim Stansel de Castro Júlio; Carlos Ziller Camenietzki

Uranophilus (Uranófilo, o peregrino celeste: ou os êxtases da mente urânica peregrinando pelo mundo celeste) trata-se de um livro, a vários títulos, marcante para a história da cultura e da ciência. Escrito por um jesuíta morávio, um savant de dimensão europeia que a sorte quis que vivesse por longas décadas no Brasil seiscentista e aí ensinasse gerações de jovens nos colégios de São Salvador da Bahia e de Olinda, Uranophilus é revelador do dinamismo cultural, mas, também, dos constrangimentos institucionais vividos entre os intelectuais jesuítas da segunda metade do século XVII. Talvez mais significativa, ainda, esta obra de Valentin Stansel materializa uma tradição intelectual, viva e original, que a historiografia de língua portuguesa muito demorou a reconhecer ao Brasil colônia.

[…] A publicação, em boa hora, desta tradução para português do Uranophilus trata-se, portanto, de um acontecimento da máxima importância, não apenas para a historiografia da cultura e da ciência – e, em particular dos países de tradição católica –, mas, sobretudo, para a historiografia e para a própria memória coletiva do Brasil. A leitura e o estudo de Uranophilus dar-nos-ão a conhecer uma dimensão até agora ignorada do Brasil colônia. Queira a sua leitura suscitar estudos inovadores sobre o passado colonial do Brasil e encorajar novos projetos editoriais em tudo semelhantes a este que agora se publica.

Published on 23/11/2021
Fino Traço