FAPERJ nota 10

Ao longo dos últimos anos, nossos alunos que se destacam no Mestrado e Doutorado tem a possibilidade de ganhar uma bolsa da FAPERJ, válido para os últimos 12 meses (no caso do Mestrado) e os últimos 24 meses (no caso do Doutorado) do curso. Esta bolsa, extremamente prestigiosa, reconhece a trajetória do/a aluno/a na primeira metade do curso, e o/a discente recebe uma bolsa com valor diferenciado por seu destacado desempenho acadêmico.

Mestrado

2021 – Mariana Freitas de Andrade

2021 – Matheus Brum Domingues Dettmann

2020 – Letícia Gomes do Nascimento

2020 – Juliana Nascimento da Silva

2019 – Lays Correa da Silva

2019 – Gabriel Felipe Oliveira de Melo

2018 – Felipe Bernardo da Silva Goebel

2018 – Natasha Mastrangelo de Moraes

Doutorado

2021 – Bruna Aparecida Gomes Coelho

2020 – Carolina Ferreira de Figueiredo

2019 – Guilherme Leite Ribeiro

2018 – Celia Daniele de Souza

Bolsas de Produtividade

Os professores Sílvia Liebel e Vinícius Liebel foram contemplados com bolsas de produtividade do CNPq. A Coordenação do PPGHIS parabeniza os Liebel pelo reconhecimento do mérito das pesquisas que desenvolvem.

Apoio à Fixação de Jovens Doutores no Brasil – 2023

O Professor Paulo Fontes e a Dra. Mariana Barbosa da Costa foram contemplados no edital da FAPERJ “Apoio à Fixação de Jovens Doutores no Brasil”. O projeto de Mariana intitula-se “União feminina favelada: redes de solidariedade, conflitos sociais e luta por direitos no pós-guerra”.A Coordenação do PPGHIS parabeniza os dois professores pelo êxito no edital.

Deivid Gaia é JCNE – Faperj

O Prof. Deivid Valerio Gaia foi contemplado com a bolsa Jovem Cientista do Nosso Estado da FAPERJ, com o projeto: Credores e devedores numa vida a crédito: relações creditícias, taxas de juros e crises financeiras no mundo romano do século I a.C. ao século IV d.C..

Os programas CNE e JCNE destinam-se a apoiar, por meio de concorrência, projetos coordenados por pesquisadores de reconhecida liderança em sua área, com vínculo empregatício em instituições de ensino e pesquisa sediadas no Estado do Rio de Janeiro.

As propostas selecionadas receberão recursos mensais por até 36 (trinta e seis) meses, visando prover apoio para o desenvolvimento de seus projetos de pesquisa. 

Robert H. Smith ICJS

Professor Vítor Izecksohn  foi agraciado com uma bolsa do Robert H. Smith International Center for Jefferson Studies.

A biblioteca presidencial de Thomas Jefferson fica na sua antiga residência Monticello, na cidade de Charlottesville, na Virgínia.

Paulo Fontes é CNE – Faperj

Paulo Fontes

O Prof. Paulo Fontes foi contemplado com a bolsa Cientista do Nosso Estado da FAPERJ. O projeto assim premiado tem o título:  Sindicalistas negros na “República Sindical”: Relações raciais e trabalho em São Paulo e Rio de Janeiro (1945-1964)

Os programas CNE e JCNE destinam-se a apoiar, por meio de concorrência, projetos coordenados por pesquisadores de reconhecida liderança em sua área, com vínculo empregatício em instituições de ensino e pesquisa sediadas no Estado do Rio de Janeiro.

As propostas selecionadas receberão recursos mensais por até 36 (trinta e seis) meses, visando prover apoio para o desenvolvimento de seus projetos de pesquisa. 

Prêmio Jabuti 2022 – Flávio Gomes

É com muita alegria que noticiamos que o nosso colega, o Professor Flávio Gomes, foi laureado com o Prêmio Jabuti nesse ano, na categoria de Ciências Humanas, com o livro Enciclopédia Negra, em coautoria com Jaime Lauriano e Lilia Moritz Schwarcz.

Segue abaixo o link dos contemplados:https://www.premiojabuti.com.br/premiados-por-edicao/premiacao/?ano=2022

A Coordenação do PPGHIS parabeniza o Professor Flávio Gomes pelo reconhecimento alcançado nessa premiação.

Prêmio Michel Marie Le Ven

Marieta de Moraes Ferreira recebeu da Associação Brasileira de História Oral o prêmio Michel Marie Le Ven, em sua primeira edição.

Do anúncio da ABHO:

A ABHO tem enorme prazer em comunicar o nome da vencedora do Prêmio Michel Marie Le Ven de Reconhecimento em História Oral, instituído em 2022 e outorgado pela primeira vez.

Professora, pesquisadora, historiadora, escritora, editora e primeira presidente da ABHO, Marieta de Moraes Ferreira é uma referência intelectual e profissional incontornável para todos os praticantes de história oral no Brasil. Enquanto professora da UFRJ e do CPDOC/FGV, Ferreira envidou desde os anos 1990 esforços pessoais e coletivos em favor do amadurecimento dos debates sobre história oral, no âmbito da história do tempo presente, bem como de seu estabelecimento e afirmação institucional como uma área interdisciplinar.

Participou das primeiras discussões que levaram à fundação da ABHO, da qual foi presidente e vice-presidente, além de membro de diferentes comitês ao longo das gestões. Teve papel indispensável na articulação da história oral feita no Brasil com a comunidade internacional, participando de várias conferências nacionais e internacionais, inclusive da conferência de Gotemburgo, em 1996, na qual foi criada a IOHA, da qual foi vice-presidente e presidente.

Não menos impressionante é a produção intelectual consistente e incessante de Ferreira, que inclui artigos e ensaios que contribuíram enormemente para o processo de legitimação do trabalho com fontes orais em diferentes disciplinas, e que persistem amparando teórica e conceitualmente a prática da história oral. Coube a Ferreira, ainda, a co-organização de uma das publicações mais influentes no país, o volume Usos e abusos da história oral, apenas um dos diversos livros por ela assinados.

A atual gestão da ABHO tem o prazer de contar com a participação de Ferreira no comitê editorial da revista História Oral e no grupo de trabalho Memória da ABHO, o que atesta seu compromisso duradouro com a área e com a associação.

Por essas razões, temos o enorme prazer de convidar a professora Marieta de Moraes Ferreira a receber o Prêmio durante o “XVI Encontro Nacional de História Oral: Pandemia e Futuros Possíveis”, que acontecerá de 25 a 28 de julho de 2022.